448Visitas |  Like

A importância da higiene íntima

Entenda melhor a importância que a higiene íntima tem em relação à saúde da mulher e descubra de que maneira ela precisa ser feita

Se a higiene íntima era vista antigamente como um assunto tabu, hoje ela ganha destaque e entra na lista dos tópicos obrigatórios a serem discutidos nas consultas ao ginecologista. “As mulheres escolhem o xampu ideal para o seu tipo de cabelo, tentam descobrir o melhor rímel para realçar seu olhar, o creme ideal para o seu tipo de pele, etc. E a área íntima também precisa receber o mesmo cuidado do corpo”, diz a ginecologista Elsa Gay.

Tal importância se deve ao estilo de vida levado atualmente. O uso de roupas justas e sintéticas, a realização de depilação com cera e o excesso de estresse, de acordo com o ginecologista e obstetra Paulo César Giraldo, gera uma série de mudanças no corpo, reduzindo as defesas do organismo e deixando-o mais suscetível ao aparecimento de doenças e infecções.

Todos esse fatores podem ajudar a irritar a região íntima ou prejudicar a sua ventilação, alterando assim o pH local e criando um ambiente propício ao desenvolvimento de alguns incômodos ginecológicos. Por isso, esse tipo de higiene é visto como essencial. Mas para realizá-la são necessários alguns cuidados específicos, como a utilização de um sabonete íntimo.

Por que usar um sabonete apropriado?

A região íntima contém um pH ácido que funciona como uma “capa” e protege a pele da proliferação de bactérias. Entretanto, ele pode se desequilibrar facilmente, devido aos fatores listados anteriormente, ao uso de sabonetes com pH alcalino (o contrário de ácido) e à delicadeza da região que a torna suscetível a vários agentes externos.

“Como a água remove somente 65% de todas as impurezas locais, o sabonete íntimo se faz necessário. Composto por um pH ácido, ele ajuda então a equilibrar a região, avitando infecções e odores ruins”, explica Dra. Elsa.

Os sabonetes em barra não são indicados para a higiene íntima, pois costumam ser alcalinos

O sabonete mais adequado

Na hora de escolher o melhor sabonete, opte preferencialmente por produtos:
· hipoalergênicos e apropriados à higiene íntima;
· líquidos e com pH ácido (pH entre 4,2 e 5,6), pois os em barra costumam ser alcalinos, agredindo a camada protetora da pele e causando alergia e coceira;
· que produzam pouca espuma;
· que não contenham substâncias antissépticas (triclosan, clorexidina);
· recomendados pelo ginecologista.

O jeito certo de higienizar

De acordo com o Dr. Paulo César, o sabonete íntimo deve ser diluído em água corrente e usado apenas na parte externa da região – vulva, virilha e ânus. “Não o utilize na parte interna da região genital, suspenda o uso de duchas e não use para tratar infecções ou inflamações. Se você tiver algum problema como esse, sempre consulte um médico”, explica.

Realize então movimentos circulares de 2 a 3 minutos, enxague a região e seque-a com uma tolha de algodão, seca e macia. “Essa higienização deve ser realizada com uma frequência de 1 a 3 vezes ao dia durante os climas quentes e uma vez ao dia durante os frios. Além disso, se a pele da vulva for ressecada, vale ainda usar um hidratante no local”, diz o médico.
Essa prática deve ser constante desde o nascimento e realizada com ainda mais frequência durante os períodos menstruais, quando o pH vaginal é alterado.

E para manter a região limpa ao longo do dia e fora de casa, procure trocar o papel higiênico por lenços umedecidos hipoalergênicos e com pH ácido, além de evitar roupas muito apertadas e com tecidos que impeçam a transpiração. Assim, é possível eliminar todas as células mortas que se depositam no local, liberar a oxigenação das vivas e evitar que fungos e bactérias se alojem, provocando futuras irritações e infecções.

Atenção: essas orientações servem para a maioria das mulheres. Entretanto, aquelas com alta sensibilidade ou antecedentes de quadros alérgicos devem seguir a orientação de seu ginecologista.

FONTE: mdemulher.abril.com.br