519Visitas |  Like

Entenda o que é colágeno e como fazer a sua reposição

Você sabe o que é colágeno? Ele é uma proteína de origem animal, naturalmente produzida pelo organismo. É encontrado nas cartilagens, ossos, tendões, pele, músculos, veias, dentes, córneas, cabelos e unhas.

Ele trabalha lado a lado com a elastina (outra proteína importante para a pele) no apoio aos tecidos do corpo. Sua carência pode desencadear doenças graves. A nutricionista Ariana Heredia, do Not Heavy Emagrecimento, foi consultada e explica o funcionamento dessa proteína:

Redução gradual
A partir dos 30 anos, há uma queda gradual no processo de produção de colágeno. Ele é substituído por outro tecido, menos elástico e mais fibroso.

“Percebemos a flacidez, as rugas, a perda dos cabelos e as unhas fracas. Ainda vale lembrar que apesar de ser naturalmente produzido pelo organismo no início da fase adulta, o colágeno tem sua síntese diminuída, e é ao que a sua deficiência passa a ser notada, sendo necessária a suplementação”, esclarece Ariana.

Reposição de colágeno

Os suplementos de colágeno podem ser obtidos por meio de diversas espécies animais (bovinos, peixes, suínos) e encontrados em cápsulas, pó, líquido e também como ingrediente de outros produtos, como chás (chá com colágeno), sucos, pudins, etc.

Além disso, também podem ser encontrados sob a forma de colágeno hidrolisado, que, por sua vez, passa por um processamento para otimizar sua absorção pelo organismo.O recomendado é ingerir de 8 a 10g por dia. As cápsulas devem ser consumidas de acordo com a quantidade indicada na embalagem. Já o colágeno em pó exige uma única dose diária.

Vitaminas
Alguns nutrientes estimulam a produção de colágeno, além de apresentarem ação antioxidante, prevenindo sua degradação no organismo.

Uma dica é aliar o consumo do colágeno com alimentos ricos em vitamina C (limão, laranja, caju, morango, kiwi, acerola, goiaba e legumes como o pimentão), vitamina E (óleos e sementes vegetais), selênio (oleaginosas, principalmente castanha-do-pará), zinco (carnes, frutos do mar, peixes, avelã, amêndoa e castanha-do-pará) e silício (aveia, cevada e legumes).

FONTE: altoastral.com.br