411Visitas |  Like

Campanha de vacinação contra gripe; tire suas dúvidas

Com a chegada das estações mais secas e frias, o número de casos de doenças virais aumenta e, em conjunto, cresce a necessidade de prevenção. Antecipada pelo Ministério da Saúde, a campanha de vacinação contra gripe tem início na segunda (10/04), para profissionais de saúde, e dia 17/04, para o público em geral.

Se você tem dúvidas sobre a campanha de vacinação contra gripe, como quem pode tomar a vacina, quais os efeitos dela e até mesmo sobre a doença, pode tirá-las aqui e ficar preparada para enfrentar esse outono/inverno.

Quem pode receber a vacinação gratuita contra a gripe?

Para receber a vacina contra gripe gratuitamente por meio do SUS (Sistema Unificado de Saúde), é necessário fazer parte do grupo de risco que engloba idosos acima de 60 anos, bebês de seis meses a cinco anos, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias depois do parto), trabalhadores da área da saúde, povos indígenas, pessoas que com doenças crônicas não transmissíveis, presidiários e funcionários do sistema prisional.

Esse ano, a novidade é que os professores das redes pública e privada também passam a fazer parte desse grupo.

E quem não faz parte do grupo de risco, como pode se imunizar?

Se você não se encaixa no público-alvo da campanha de vacinação contra gripe e não pode receber a vacina gratuitamente, o sistema particular também oferece o serviço. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou que a vacina trivalente de 2017 deve conter os vírus Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e Influenza B. Já a tetravalente, vai abordar, além destes, mais um subtipo do vírus Influenza B. A imunização oferecida pelo SUS é a trivalente.

Como a vacina age no corpo?

A vacina é um tipo de imunização ativa, ou seja, substâncias ou microrganismos infecciosos (no caso, os próprios vírus da gripe) são introduzidos no organismo para estimular o sistema imunitário na produção de anticorpos quando em contato com um certo agente causador de doenças. Essas partículas inseridas no organismo não têm capacidade de causar a doença em si porque são enfraquecidas durante o processo de produção da vacina. Geralmente não há sintomas de desconforto após a injeção, mas efeitos colaterais como febre, mal-estar e dor no local da aplicação são comuns.

Quanto tempo depois posso me considerar imunizada?

A vacina leva em torno de 30 dias para atingir o pico máximo de proteção, o que quer dizer que, quanto antes você tomar, maiores as chance de já estar imunizada quando o período de maior contaminação da doença chegar. Se você já tomou ano passado e quer manter a prevenção, precisa renovar com uma nova dose esse ano. Quem tomou a trivalente pode tomar a tetravalente também, mas deve esperar o tempo mínimo de um mês. É importante lembrar que pessoas com alergia ao ovo não devem receber a vacina e quem apresentar algum quadro de imunodepressão deve procurar orientações de um médico.

É verdade que quem toma a vacina contrai gripe?

Não. O que acontece, na maior parte dos casos, é uma coincidência de alguém que tomou a vacina contra gripe acabar contraindo a doença através de um outro vírus que não estava presente na fórmula da dose. Por ser aplicada em uma época propícia para a circulação do agente causador da doença, é fácil acabar esbarrando em um vírus diferente do qual você se imunizou. “Então eu não estou imunizada contra todos os tipos de gripe?”: não. A Organização Mundial da Saúde e baseia na maior circulação observada de vírus no hemisfério norte no ano anterior. Então sem neura: a vacina não vai te deixar doente.

Quais as outras formas de prevenção da doença?

Para complementar a ação da vacina, você pode: lavar as mãos com frequência (esse passo é o mais importante, porque as mãos são a primeira parte do corpo a entrar em contato direto com áreas contaminadas); ventilar os ambientes (abra as janelas se estiver em transporte público, ônibus, trem ou metrô); evite coçar os olhos ou colocar as mãos na boca; quando tossir, tape a boca com o antebraço e não com as mãos; tome mais água, alimente-se melhor, durma a quantidade necessária e faça atividades físicas – um corpo saudável consegue combater melhor as ameaças externas.

FONTE: altoastral.com.br