358Visitas |  2

Por que o limão mancha a pele?

Que o limão é azedo todo mundo sabe, mas nem por isso ele deixa de ser o queridinho de todo brasileiro. Esta fruta é usada para preparo de vários alimentos e bebidas. Taiti, Galego ou Siciliano, o limão é uma boa pedida nas épocas quentes do ano, pois combina com caipirinha, petiscos, praia e piscina. Porem, seu manuseio próximo aos raios solares pode ser um perigo a nossa pele.

Na hora de beber uma caipirinha ou um suco bem gelado na beira da praia ou piscina, cuidado com as frutas cítricas. Em contato com a pele, seguido de exposição solar, elas podem levar a uma doença conhecida como fitofotomelanose.

A fitofotomelanose ou fitodermatite é uma dermatose muito comum no verão, causada pela combinação do contato com frutas cítricas e exposição solar. O exemplo mais comum são as queimaduras provocadas por limão.

sqs-limao-01

A furocumarina, uma substância presente na polpa e na casca do limão, da laranja, e da tangerina é responsável por esse fenômeno. Essa substância penetra a pele quando o indivíduo espreme o cítrico no preparo de sucos e caipirinhas ou sobre um petisco, provocando uma reação alérgica ao entrar em contato com os raios ultravioletas do sol. A reação alérgica provoca um processo inflamatório e surgem então manchas avermelhadas que evoluem para manchas escuras, semelhantes a uma queimadura. Estas manchas podem estar acompanhadas ou não de coceira, sensação de queimação e/ou ardência no local.

Se a quantidade de suco de limão for muito grande, ela pode alcançar camadas profundas, como a derme, e causar lesões mais sérias. Nesses casos, é comum a formação de bolhas.

As manchas podem ser observadas cerca de 30 minutos depois do contato com a substância e exposição ao sol. Mas, como cada caso é um caso, há pacientes que demoram até 24 horas para notar as manchas na pele.

O formato das manchas depende da intensidade de exposição da pele às substâncias e ao sol, sendo frequente o surgimento de lesões pontilhadas causadas por respingos de limão espremido. As áreas mais comumente afetadas são o dorso das mãos, colo e os lábios devido ao contato mais direto que essas regiões têm com os alimentos.

O tratamento é feito por meio do uso de medicamentos aplicados diretamente nas áreas acometidas. A hidratação da pele ajuda muito na recuperação. Deve-se ter atenção extra para a proteção solar da pele nas áreas com lesões.

O desaparecimento das manchas ocorre de forma espontânea e gradativa, devendo-se proteger a pele da exposição ao sol, com filtros solares potentes.

Para aliviar o incômodo faça compressas com soro fisiológico e chá de camomila gelado, aplique protetor solar a seguir para proteger a pele e procure profissional de saúde para mais orientações. Se a queimadura formar bolhas, o que pode acontecer nos casos mais graves, nunca as estoure.

É importante lembrar que:

O protetor solar não evita a queimadura de limão.
Só há riscos se a região for exposta ao sol.
Após manipular a fruta lave abundantemente as mãos com água e sabão.
Lave também o rosto, principalmente ao redor da boca, após beber sucos ou caipirinhas de limão.
Para evitar a fitofotomelanose, evite mexer com frutas cítricas, fazer ou beber limonadas, sucos de frutas, caipirinhas e se expor ao sol em seguida.

FONTE: Farmacêutica Daiane Pertuzzatti